segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Ribeira ouvir... para decidir melhor!

É com aquela mensagem que os autarcas PS desta freguesia se recandidatam.
A única alteração de relevo prende-se com a passagem do número dois a número um e deste a número quatro.
Ora, a número três, ali colocada por imposição legal de cumprimento das quotas, deve colocar-se de sobreaviso, uma vez que corre o sério risco de ser relegada para posição inferior aquando da formação do executivo, que poderá manter-se, registando-se apenas mudança de cadeiras, aliás uma velha prática dos executivos PS na Ribeira.
Voltando à mensagem, apenas os mais desatentos e distantes poderão confiar em tão demagógica ideia que agora nos querem "vender" e que resulta de factos e polémicas recentes.
As palavras-chave são Diálogo, Dedicação e Responsabilidade.
Diálogo? Ouvir? Quem o não praticou como o conseguirá fazer agora? Não são estes os autarcas que constituem a Junta de Freguesia à 8 anos? Não são os mesmos que agora se estão a recandidatar?
Os exemplos e as situações em que este executivo praticou exactamente o contrário daquilo que agora vem propôr são variados:
  • O mais recente e as conseqências que dele resultaram: A remodelação da sede da Junta. Que diálogo existiu com o Agrupamento de Escuteiros e Fábrica da Igreja quando o assunto também lhes dizia respeito?
  • A imposição do mesmo projecto sem que fosse apresentado e debatido na assembleia de freguesia;
  • O encerramento do caminho das Pedreiras;
  • A retirada de um tubo no lugar da Lagoa que não era propriedade da Junta de Freguesia;
  • As dificuldades criadas pela Junta de Freguesia a um casal de emigrantes que pretende construir a sua habitação no terreno adquirido para o efeito no lugar do Chouso;
  • A imposição de um projecto de toponímia aberrante e com erros sem ouvir e aceitar as propostas que os visavam corrigir;
  • A não aceitação de um período de exposição pública do projecto de toponímia para que todos o pudessem conhecer, apreciar, criticar e propôr alterações que seriam analisadas e decididas por Comissão independente nomeada para o efeito.
  • As variadas formas de menosprezar e inviabilizar as opiniões e propostas apresentadas na assembleia de freguesia pelos membros eleitos pela UNIR - II;
  • Os inúmeros exemplos e documentos que constam deste blog e que disso dão conta e são prova.
Perante, exemplos tão ilucidativos não vale mesmo a pena acreditar que agora vai ser diferente.
Nós temos os exemplos e a experiência.
Aqui fica o testemunho.

Etiquetas: ,

3 Comments:

At 5 de outubro de 2009 às 23:05, Blogger Joaquim said...

Porque não se candidataram?

directamente (não indirectamente) estão a chamar o povo da Ribeira de parvo.

Dou sim os parabéns a todos os que têm coragem de se candidatar, e respeitando a vontade das eleições assumem as suas responsabilidades, sejam elas como executivo ou como membros da Assembleia.

 
At 14 de outubro de 2009 às 17:22, Blogger Aurélio said...

Nem sempre para dar opiniões é condição necessária e suficiente para haver candidaturas. As opiniões são necessárias. Haja é humildade e altruismo para as ouvir e aceitar. Os Ribeirenses não são parvos, mas sim acomudados e gostam pouco de dar a "cara". O melhor é viver com Deus e com o Diabo...quem quiser que trabalhe!
Parabéns para os vencedores destas eleições e que tenham sabedoria para liderar!

 
At 19 de outubro de 2009 às 23:38, Blogger Fomá_Fomitch said...

Caros amigos o PS é tão bom na Ribeira como o CDS-PP em Ponte de Lima. Abusam do poder que lhes foi legitimado pelo povo. O chavão actual da "asfixia democrática" aplica-se muito mais localmente do que a nível central. Em cada terra há o seu cacique a mandar, a seguir as modas saloias, o "engraçadinho" (do JPP). Não há pensamento próprio a nível local, todas as ideias são importadas/copiadas de outras autarquias só porque lá teve uma boa receptividade por parte dos eleitores. Já o Maquiavel dizia que o povo julga mais com o olho do que com a razão. Não há espaço para qualquer sentido critico ou mesmo de auto-critica, apenas de auto-elogio fácil, aberrante e muitas vezes ridículo.
Tenho pena que o PSD não tenha tido mais votos ou mesmo ganho pois na minha opinião não era tão mau!
Cumprimentos

 

Enviar um comentário

<< Home